A Câmara Municipal de Penela vai gerir este ano um orçamento de quase 12 milhões de euros, um aumento superior a mais de três milhões de euros em relação a 2017, que “muito se deve ao quadro comunitário de apoio que está agora em fase de implementação. Mas para se chegar até aqui teve um trabalho muito sério e criterioso na elaboração de candidaturas e no alinhamento com as estratégias de desenvolvimento territorial”, referiu ao TERRAS DE SICÓ o presidente da autarquia, Luís Matias.

“Fizemos previamente um trabalho de captação de investimento, portanto, de um conjunto de candidaturas que são essenciais para a realização de alguns investimentos estruturantes para o concelho e que terão em 2018 a sua fase de execução”, sublinhou o edil.

Os pelouros do Planeamento, Urbanismo e Infra-estruturas; Educação e Desenvolvimento Económico recebem as maiores fatias do “bolo municipal”, com o presidente da Câmara a dar predominância, em cada uma daquelas áreas, à beneficiação e ampliação do sistema de abastecimento de água e saneamento; a conclusão de um centro escolar e a criação de uma nova zona industrial, no caso, o Loteamento da Louriceira, com financiamento garantido no valor de perto de 1,6 milhões de euros.

Luís Matias realça a particularidade de as Grandes Opções do Plano e Orçamento do Município terem recebido votos favoráveis dos líderes de todas as Juntas de Freguesia do concelho. “No nosso programa temos também o reforço dos contratos-programa e da articulação entre as Juntas e a Câmara nalgumas obras de menor dimensão que faz sentido serem realizadas em parceria com as Juntas”, sustenta.

O autarca salienta ainda o esforço do município em maximizar as verbas para o investimento, que representam 42,4 por cento (5.068.170 euros) do total da despesa. “É muito pouco usual num orçamento desta dimensão. Quer dizer que estamos a alocar muitas verbas a despesas de capital em detrimento das despesas correntes”, nota.

Segundo Luís Matias, o Orçamento de 11,945 milhões “dá resposta aos compromissos eleitorais decorrentes do último acto eleitoral, dá continuidade ao trabalho muito intenso e responsável de captação de investimento estruturante no âmbito do actual quadro comunitário, garante o equilíbrio orçamental, a consolidação das finanças municipais e a melhoria da eficiência dos serviços municipais.”

 

Capacidade empreendedora

 

“Pretendemos dar qualidade de vida às pessoas, o aumento de oportunidades e a criação de emprego e condições económicas favoráveis, dentro da estratégia que traçamos para o município, sendo as candidaturas a fundos comunitários consequência dessa estratégia”, evidencia o autarca, que alude ao facto de Penela ser, entre os territórios de baixa densidade, o concelho com mais empresas com o estatuto de PME Líder e PME Excelência per capita.

“É um território que se começa a afirmar pela sua capacidade muito grande de empreender, o que se deve ao trabalho de muitos, mas naturalmente também à visão que a Câmara tem tido para a atracção de investimentos”, enfatiza.

O Orçamento do executivo social-democrata, apresentado em Assembleia Municipal, foi aprovado por maioria, “e não mereceu nenhum voto contra”, o que deixa o elenco camarário “extremamente satisfeito e motivado para executar o conjunto de acções e projectos previstos”.

Trata-se de um “Orçamento extremamente ambicioso e realista, o que obrigará a ´máquina´ da Câmara a um trabalho redobrado na implementação de todos estes projectos”, considera Luís Matias.